Fibroblasto autólogo para tratar deformidades faciais não é procedimento médico

Por em outubro 3, 2016

O uso de Fibroblasto Autólogo para o tratamento de deformidades faciais não apresenta até o momento evidências científicas sólidas que permitam considerá-lo como procedimento médico consolidado, só podendo ser realizado dentro das normas do sistema CEP/Conep.

O entendimento consta no Parecer número 31/16 publicado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Para a entidade,o procedimento não pode ser considerado procedimento médico consolidado diante das evidências disponíveis e deve ser realizado no abrigo de projetos de estudo devidamente aprovados.

Para ler a íntegra do documento clique aqui.

*Informações do CFM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *