Senador pede criação de nova contribuição para financiar saúde

Por em agosto 4, 2015

Ao destacar os dois anos do programa Mais Médicos, o senador Jorge Viana (PT-AC) defendeu a recriação de uma contribuição para financiar o setor de saúde, especialmente nas prefeituras. Ele disse que a falta de dinheiro é um problema sério que afeta o setor e gera consequências negativas, principalmente para os mais pobres.

E a situação piorou ainda mais, acrescentou o senador, depois que o Congresso Nacional acabou com a CPMF, cuja arrecadação era destinada ao setor.

— Acho que o país não vai a lugar nenhum enquanto não encontrar o financiamento para a saúde. E se não é a CPMF, tem que ser algo muito parecido com ela. Algo que todo mundo dê a sua parcela de contribuição. E aquilo era tão genial, que quem tem mais, pagava mais, quem tem menos, pagava bem pouquinho. Nada mais justo, nada mais adequado. Acho lamentável, porque poucos têm coragem de falar sobre isso. Mas eu acho que chegou a ser criminoso o embate político pondo fim à CPMF sem por algo no lugar — afirmou.

Sobre o programa Mais Médicos, Jorge Viana disse que os profissionais contratados atendem 60 milhões de brasileiros. E, disse ele, por atender a um interesse público, especialmente num setor sensível como é a saúde, o programa tem alto percentual de aprovação da sociedade brasileira.

Jorge Viana acrescentou ainda que o acesso à saúde é um assunto que preocupa pessoas em todo o mundo. Ele citou como exemplo a dificuldade enfrentada pelo presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, que há oito anos tenta implementar um programa de saúde para beneficiar 50 milhões de americanos que não têm acesso à assistência à saúde.

*Informações da Agência Senado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *