Polícia Federal investiga 27 médicos acusados de não cumprirem carga horária

Por em junho 9, 2015

A Polícia Federal deflagrou hoje (9/6) a Operação Onipresença para investigar médicos acusados de não cumprirem a carga horária contratada no Hospital Universitário catarinense e de não prestar efetivamente atendimento à população atendida por esse estabelecimento, em Florianópolis.

Policiais federais deram cumprimento a 52 mandados de busca e apreensão, em hospitais públicos e privados, clínicas e consultórios médicos, nos municípios de Florianópolis/SC, Criciúma/SC, Itajaí/SC e Tubarão/SC.

Investigações apontaram que 27 médicos do Hospital Universitário não estavam cumprindo efetivamente a carga horária conforme contratada. Foi comprovado, ainda, que eles possuem vínculos públicos de 60 ou 40 horas semanais de trabalho, porém realizavam atendimentos em consultórios, clínicas e hospitais  particulares, em prejuízo do atendimento no hospital público (HU), com carga horária impossível de ser prestada por um ser humano.

Os investigados responderão pelos crimes de prevaricação (art. 319 do CP), abandono de função pública (art. 323, §1º do CP), falsidade ideológica (art. 299 do CP) e estelionato contra a União (art. 171, §3º do CP). Além disso, poderão também ser responsabilizados civilmente, com o ressarcimento do erário e administrativamente, com a perda do cargo público.

*O nome da Operação Onipresença significa capacidade de estar em todos os lugares ao mesmo tempo.

(Informações da Polícia Federal)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *