CFM: Regulamentação da doação renal pareada ou troca de doadores vivos

Por em Abril 5, 2018

A regulamentação da doação renal pareada ou troca de doadores vivos para transplante renal no país não deve ser implementada dentro do cenário atual do Programa de Transplante Renal no Brasil. É o que estabelece o Parecer número 05/2018, publicado pelo Conselho Federal de Medicina.

De acordo com o documento, o Brasil possui um Programa de Transplante Renal reconhecido por seus critérios de equidade e regulação da lista de espera de doadores com transparência e controle social. Os serviços de transplante renal têm aumentado o número de transplantes e a sobrevida dos enxertos tem crescido, ao mesmo tempo, as Centrais Estaduais de Transplantes (CET) têm aumentado sua eficiência na captação de órgãos de doadores falecidos em vários estados do território do Brasil.

Diante das evidências e considerações descritas anteriormente, o Programa de Doação Pareada ou Troca de Doadores Vivos para Transplante Renal não deve ter sua regulamentação implementada em nosso país dentro do atual cenário nacional.

Leia o documento na íntegra, clicando aqui.

*Informações do CFM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *