Parecer do CFM reforça proibição da auto-hemoterapia

Por em fevereiro 27, 2015

O procedimento da auto-hemoterapia não tem efetividade científica comprovada e pode trazer danos. O alerta é do Conselho Federal de Medicina (CFM) que reforça a proibição da sua prática por médicos, pois tem recebido questionamentos e denúncias de pessoas leigas utilizando e divulgando a técnica.

A auto-hemoterapia consiste em retirar sangue de uma veia e aplicar no músculo da própria pessoa como forma de tratar algumas doenças. Em 2007, o CFM emitiu o Parecer nº 12, ainda vigente, informando que “não existem estudos relativos à auto-hemoterapia desde a sua proposição como recurso terapêutico” e que “não há evidência científica disponível que permita a sua utilização em seres humanos”.

A opinião é compartilhada pela Associação Brasileira de Hematologia e Hemoterapia (ABHH) que em seu site divulga que a “auto-hemoterapia é adotada por leigos e é desaconselhada por, além de não ter nenhum benefício comprovado no campo da ciência, poder apresentar inúmeros riscos à saúde”.

Pelo perigo e inconsistência científica, a auto-hemoterapia não pode ser usada pelos médicos.“Os médicos que a praticarem poderão sofrer penalidades que podem chegar ao registro profissional cassado”, afirma o corregedor do CFM, José Fernando Maia Vinagre.

(Informações do CFM)

19 Comentários

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *