Optometristas: Cremesp pede indenização de R$ 1 milhão por exercício ilegal da Medicina

Por em dezembro 15, 2017

O Cremesp entrou com ação na Justiça, em 1 de dezembro, contra o Conselho Regional de Óptica e Optometria de São Paulo (Croo-SP), pedindo indenização por dano moral coletivo, no valor de R$ 1 milhão, pelo exercício ilegal da Medicina. O valor da indenização será destinado ao Fundo de Defesa dos Direitos Difusos.

O Croos/SP – uma associação de direito privado e não autárquica – promoveu o mutirão  “Outubro Brilhante”  em Campinas, no qual optmetristas realizaram atendimento oftalmológico à população. Os participantes efetuaram procedimentos como diagnóstico, prescrição de lentes e óculos, invadindo prerrogativas dos médicos.

O Cremesp solicita que a associação exiba, em juízo, a lista completa dos  participantes do mutirão, para apuração de responsabilidade penal pelo possível exercício ilegal da Medicina.

Associação perde ação contra Cremesp

Recentemente, a Justiça negou ao Croo-SP um pedido de liminar contra o  Cremesp.  A associação tentou remover do site e das redes sociais do Cremesp, uma matéria que repudia a declaração do vereador e optometrista, Fernando Mendes (PRB), de Campinas, que atribuía aos médicos oftalmologistas os problemas de saúde pública da região. Na matéria, o Cremesp também exige a retratação pública do vereador em respeito aos mais de 3,5 mil oftalmologistas inscritos no Estado.

*Informações do Cremesp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *