MPF/ES quer que unidades particulares vinculadas ao SUS emitam certidão com motivo de recusa de atendimento

Por em agosto 9, 2016

O Ministério Público Federal no Espírito Santo (MPF/ES) enviou recomendação aos estabelecimentos de saúde particulares vinculados ao Sistema Único de Saúde (SUS) do Sul do Estado para que emitam a todos os usuários do sistema que não tiverem suas solicitações médicas atendidas certidão ou documento equivalente, em que conste o nome do usuário, unidade de saúde, data, hora e motivo da recusa do atendimento de saúde solicitado.

As unidades deverão, ainda, determinar que a certidão seja fornecida ao usuário mesmo que os funcionários que atuem em suas recepções sejam terceirizados. Deverão, também, ser estabelecidas rotinas de fiscalização do cumprimento do que foi recomendado pelo MPF, sob pena de responsabilidade pelas ilegalidades que vierem a ocorrer.

A necessidade de expedição da referida recomendação se deu em razão da ausência de informações claras prestadas pelas unidades de saúde que justificassem as razões pelas quais determinados atendimentos médicos solicitados pelos usuários não podiam ser executados.

O MPF, no ano de 2014, expediu recomendação no mesmo sentido a toda rede pública de saúde dos municípios do Sul do Estado. Posteriormente, contudo, observou-se que as justificativas do não atendimento não estavam sendo apresentadas pelas unidades particulares de saúde, que também têm o dever de prestar tais esclarecimentos, tendo em vista que os serviços privados contratados ou conveniados ao SUS estão sujeitos às mesmas regras dos serviços públicos, em especial o direito de acesso à informação.

A recomendação foi enviada para 17 unidades de saúde: Santa Casa de Misericórdia de Cachoeiro de Itapemirim; Hospital Unidade Integrada Jerônimo Monteiro; APAE de Iúna; Hospital Psiquiátrico Capaac; Hospital Evangélico de Cachoeiro de Itapemirim; Hospital Infantil Francisco de Assis; Hospital Evangélico de Itapemirim; Santa Casa de Guaçuí; Santa Casa de Misericórdia de Iúna; Hospital São José; Cintilocenter; Clínica Cem; CRE Cachoeiro de Itapemirim; Laboratório Bioteste Cachoeiro de Itapemirim; Hospital e Maternidade Danilo Monteiro de Castro; Clínica dos Acidentados; e Clínica de Repouso Santa Isabel.

As unidades de saúde têm 60 dias, a partir do recebimento da recomendação, para informar ao MPF/ES as medidas adotadas para atender à recomendação.

*Informações do Ministério Público Federal no Espírito Santo

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *