Moratória proibirá novos cursos de medicina por 5 anos

Por em novembro 20, 2017

Após diversas manifestações públicas do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) e dos demais Conselhos e organizações de especialidades médicas, contra a abertura indiscriminada de escolas médicas no Estado, o presidente Michel Temer irá assinar moratória para proibir abertura de novos cursos de medicina no país durante cinco anos.

O Ministro da Educação, Mendonça Filho, confirmou a informação para a colunista da Folha de S.Paulo, Mônica Bergamo, e afirmou que o documento deve ser assinado até o final deste ano.

Para o presidente do Cremesp, Lavínio Nilton Camarim, “a proliferação de estabelecimentos de ensino privados sem um controle rigoroso compromete a qualidade do ensino dos jovens estudantes, configurando-se como um risco à formação dos novos médicos”.

Histórico 

O Cremesp entrou, em outubro deste ano, com representação junto ao Ministério Público Federal solicitando que o órgão abra investigação para apurar a licitude de ato administrativo do ministro da Educação que autoriza a criação de novos estabelecimentos privados de ensino médico no Estado de São Paulo. O Conselho acredita que houve desrespeito às condições legais necessárias para essa autorização. Confira aqui.

O crescimento do número de escolas médicas não tem sido acompanhado da ampliação do número de hospitais-escolas para o exercício prático do aprendizado em sala de aula, por exemplo.

Outro dado importante é que o Brasil é um dos países que mais possui cursos de Medicina. Mais que os Estados Unidos e até mesmo a China, onde há quase 1,4 bilhão de habitantes.

O Cremesp entende que a proliferação de estabelecimentos de ensino privados sem um controle rigoroso compromete a qualidade do ensino dos jovens estudantes, configurando-se como um risco à formação dos novos médicos.

*Informações do Cremesp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *