Ministério da Saúde premia boas práticas em gestão do trabalho

Por em junho 1, 2017

Difundir boas práticas em gestão do trabalho, homenageando gestores que promoveram inovações na área: esse é o objetivo do evento promovido pelo Ministério da Saúde, nesta quarta-feira (31), em Brasília. O evento, denominado “Valorização de Boas Práticas e Inovação na Gestão do Trabalho na Saúde”, reuniu gestores, entre os quais estão os ganhadores do último Prêmio InovaSUS de boas práticas em gestão do trabalho, iniciativa do Ministério da Saúde. O encontrou contou também com uma apresentação sobre o prêmio, e o lançamento de um livro com projetos vencedores de 2015.

Durante o evento, o professor e pesquisador da Universidade de Brasília (UnB), Antônio Izidro, proferiu palestra sobre inovação. Na premiação, foram entregues certificados aos vencedores do InovaSUS 2015. O prêmio analisa e seleciona os melhores projetos inovadores que buscam promover melhorias nas condições e relações de trabalho na saúde. Já em sua quinta edição, a ação concede valores em dinheiro. Em 2015, o valor total repassado foi da ordem de R$ 2,39 milhões. Os 20 projetos selecionados receberam prêmios entre R$ 80 mil e 300 mil.

“O Prêmio INOVASUS estimula e valoriza as equipes, práticas e relações de trabalho desde 2011. Somos todos parte do processo de construção do Sistema Único de Saúde e nossa tarefa é estar continuamente em busca do seu aperfeiçoamento. O resultado deve ser em prol do cidadão, do usuário do SUS, que é o nosso foco  e para quem o Ministério da Saúde trabalha”, destaca o secretário-executivo, Antônio Nardi.

O secretário de Gestão do Trabalho e da Educação Saúde do Ministério da Saúde, Rogério Abdalla, enfatiza a importância da ação como forma de exemplo aos demais gestores do Sistema Único de Saúde (SUS). “O trabalhador é uma das peças mais importantes na engrenagem do SUS, e promover a melhoria das condições de trabalho e o aumento da satisfação dos profissionais traz benefícios, não somente para o próprio trabalhador, mas também para a população atendida e a sociedade como um todo”, explicou.

MELHOR EM CASA – Um dos projetos destaque da edição de 2015 foi o 1° lugar da seleção, de autoria da Fundação Estatal de Atenção Especializada em Saúde de Curitiba (FEAES), vinculada à prefeitura de Curitiba, no Paraná. Com o nome “Melhor em casa Curitiba: transformando as relações de trabalho para uma organização tipo cérebro”, o projeto criou processos de trabalho que vêm promovendo uma maior satisfação dos profissionais das equipes multiprofissionais do Programa Melhor em Casa em Curitiba.

Com o projeto, a gestão do Melhor em Casa criou uma “escala de satisfação”, que permite aos profissionais manifestarem anseios e pontos a serem revistos nas relações de trabalho. A partir disso, são implementados novos processo de trabalho, como reuniões regulares e canais de comunicação capazes de mudar as causas de insatisfação por parte dos trabalhadores.

Segundo, a Elaine Rossi, Diretora do Instituto de Ensino e Pesquisa da FEAES, os trabalhadores do Melhor em Casa devem estar preparados para enfrentar diversas situações difíceis durante o exercício da função, como visitar moradias em situação de vulnerabilidade, portanto, é essencial que esteja satisfeitos com as relações de trabalho. “Nós estamos buscando a democratização das relações de trabalho, em todos tenham voz e sejam cogestores. Isso é a organização tipo ‘cérebro’ que está no título do projeto” explica. Os recursos recebidos no prêmio serão utilizados para dar continuidade às ações, bem como a promover a difusão dos resultados por meio de seminários e workshops.

O PRÊMIO – O InovaSUS já está em sua 5ª edição. No InovaSUS 2014, os trabalhos abordaram os temas “experiências e práticas inovadoras na gestão do trabalho no SUS” e “plano institucional de comunicação na gestão do trabalho no SUS”. Os 30 primeiros colocados receberam prêmios em dinheiro de até R$ 150 mil. A edição de 2013 premiou 15 experiências bem sucedidas na gestão do trabalho com valores de até R$ 200 mil.

Já em 2012, o prêmio recebeu o nome de InovaSUS-Carreira, pois recebeu propostas focadas na implantação de planos de cargos, carreiras e salários (PCCS) por secretarias de saúde dos estados, dos municípios e do Distrito Federal, além de consórcios de saúde e fundações públicas no âmbito do SUS. Naquele concurso, os 12 melhores trabalhos (espalhados pelas cinco regiões brasileiras) recebeu premiação no valor de R$ 200 mil. O concurso de 2011, o primeiro realizado pelo Ministério da Saúde, premiou 20 projetos, com valores de até R$ 150 mil.

*Informações do Ministério da Saúde

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *