Ministério assina 21 convênios com entidades

Por em janeiro 10, 2014

O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, assinou, nesta sexta-feira (10), em São Paulo (SP), 21 convênios, que totalizam repasses de R$ 26,9 milhões, para entidades com sede na capital paulista e governo municipal, incluindo o Telessaúde Brasil Redes.

As parcerias firmadas com a Universidade de São Paulo (Fundação Faculdade de Medicina e Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina), Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM) e Fundação Oswaldo Ramos chegam a R$ 23,4 milhões. Os recursos serão empregados em várias áreas de estudo e pesquisa, capacitação de profissionais e aquisição de equipamentos para unidades hospitalares. Além disso, foram firmados outros dois convênios com a prefeitura de São Paulo para implantação do programa Telessaúde Brasil Redes -, no valor de R$ 3,8 milhões. O investimento irá ampliar o atendimento prestado à população.

O ministro da Saúde Alexandre Padilha disse que os hospitais universitários são importantes para o país. “Essas são instituições que podem desafiar as mudanças que precisamos na medicina do Brasil. O Ministério da Saúde não pode abrir mão de instituições como essas para enfrentar o nosso desafio de garantir o atendimento com qualidade aos usuários da saúde pública”, completou.

Com a Fundação Faculdade de Medicina são nove convênios, que totalizam R$ 13 milhões a serem repassados. Os recursos irão financiar estudos e pesquisas para o desenvolvimento de ações de vigilância, prevenção e controle da malária e tuberculose, além de estudos sobre a saúde da pessoa idosa. Também serão apoiadas ações como aquisição de produtos médicos para o Instituto do Câncer do Estado de São Paulo Octavio Frias de Oliveira (Icesp), capacitação de profissionais em captação e transplantes de órgãos e tecidos nos estados de Goiás, Tocantins e Roraima e, ainda, o projeto de conscientização da população sobre doação.

O Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (USP) contará com cinco convênios, um montante de R$ 6,9 milhões em repasses do Ministério da Saúde. Os recursos serão aplicados na unidade de saúde para aquisição de equipamentos do serviço de gastrocirurgia, para apoio aos transplantes de fígado, pâncreas e intestino, e materiais para uso em cirurgias de cabeça e pescoço. Além disso, a Clínica de Ginecologia também receberá novos equipamentos e será modernizado o aparelhamento do Instituto do Coração (InCor) nos setores de atendimento de urgência e emergência, centro cirúrgico, internação, sala administrativa e setor de endoscopia digestiva e respiratória.

Já a Universidade de São Paulo obterá R$ 279,3 mil por meio de dois convênios. A verba será investida em estudos e pesquisas voltadas a vigilância, prevenção e controle da tuberculose e da saúde do trabalhador (impacto do microorganismo C.Psittaci na transmissão aos seres humanos por meio de aves). Com isso, para a USP e entidades ligadas a universidade, receberão repasses de R$ 20,3 milhões do Ministério da Saúde.

Por sua vez, a Fundação Oswaldo Ramos administrará R$ 700 mil que serão aplicados em um convênio para aquisição de equipamentos para a unidade de atenção especializada em saúde, além de dois analisadores bioquímicos.

A Associação Paulista para o Desenvolvimento da Medicina (SPDM), contará com dois convênios, no valor de R$ 2,4 milhões. A cifra será aplicada na capacitação de profissionais em reanimação neonatal e transporte de recém-nascidos de alto risco em 41 maternidades da Rede Cegonha e aquisição de materiais para uso na assistência do Hospital São Paulo.

TELESSAÚDE – Com o recurso e R$ 3,8 milhões disponibilizado pelo Ministério da Saúde para a expansão do Telessaúde Brasil Redes na cidade de São Paulo, a Secretaria Municipal de Saúde, em parceria com a USP, criará um Núcleo Municipal do programa e irá expandir a estratégia para 260 Unidades Básicas de Saúde (UBS) do município. Somados aos projetos que serão desenvolvidos pelas Faculdades Santa Marcelina, com cobertura de 65 UBS, e o da Universidade Federal de São Paulo, que abarca outras 121, todas as 446 UBS do município serão contempladas, tornando São Paulo a primeira capital do país a ter toda a Atenção Básica interligada pelo Telessaúde Brasil Redes.

O convênio prevê também a inclusão de outros 90 serviços de saúde da capital como hospitais municipais, prontos-socorros, CAPS III e supervisões de Vigilância em Saúde.

O Telessaúde Brasil Redes viabiliza a realização de teleconsultorias, telediagnósticos, teleducação e segundas opiniões formativas por meio de tecnologias da informação implantadas em Unidades  Básicas de Saúde (UBS) e instituições de referência. Atualmente, são 14 núcleos implantados e 33 em fase de implantação, localizados em instituições formadoras, como hospitais universitários, e órgãos de gestão. (Informações da Agência Saúde)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *