Formação em anestesiologia foi tema de reuniões no CFM

Por em janeiro 25, 2016

A formação do médico anestesiologista foi um dos temas sobre o qual o Conselho Federal de Medicina (CFM) se debruçou em reunião realizada na terça-feira (19), em Brasília (DF).

A pauta, considerada prioritária também pelo novo presidente da Sociedade Brasileira de Anestesiologia (SBA), Antônio Fernando Carneiro, foi um dos interesses consonantes das instituições discutidos durante reunião com o presidente do CFM, Carlos Vital.

No encontro, os dirigentes debateram o aprimoramento do diálogo em relação às qualificações exigidas em diversos perfis de atividade de anestesiologia – como os dos médicos que atuam no corpo de instrutores dos centros de ensino e treinamento, nas residências médicas, nas universidades e os candidatos ao concurso para o Título Superior em Anestesiologia (TSA), concedido pela SBS, por exemplo.

O tópico da formação também foi destaque durante a primeira reunião de 2016 da câmara técnica que trata da especialidade no CFM. Os participantes estudaram uma série de ações contra a proliferação de cursos de especialização lato sensu de apenas um dia por semana ou até mesmo em finais de semana, com treinamento e supervisão inadequados. “A principal preocupação é a formação inadequada – principalmente de ordem prática –, que coloca em risco a saúde da população”, disse o coordenador da câmara, o conselheiro federal Alexandre de Menezes Rodrigues.

A SBA e o CFM já divulgaram notas de esclarecimento alertando que cursos de pós-graduação lato sensu não conferem ao médico o direito de se inscrever nos conselhos de medicina como especialistas ou anunciarem tais títulos. “Ainda que reconhecidos pelo MEC, podem se confundir, aos olhos leigos, com a especialidade médica reconhecida pelos conselhos de medicina”, ressaltou o CFM, em um desses informes.

Além de Carlos Vital, Antônio Fernando Carneiro e Alexandre de Menezes Rodrigues, participaram dos encontros Desiré Carlos Callegari, conselheiro do Cremesp; Paulo Antônio de Mattos Gouvêa, do Hospital Infantil Nossa Senhora da Glória (ES); e Erick Freitas Curi, diretor da SBA.

*Informações do CFM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *