Eventos adversos são tema de Sessão Científica da Anvisa

Por em Abril 30, 2019

Farmacovigilância e a notificação de efeitos adversos dos medicamentos que tratam tuberculose foram tema da primeira edição da Sessão Científica da Visa em Debate, que aconteceu nesta segunda-feira (29/4), na sede da Anvisa.

A ideia da Gerência Geral de Conhecimento, Inovação e Pesquisa (GGCIP), que promoveu o debate, é eleger um artigo da revista eletrônica Visa em Debate, especializada em Vigilância Sanitária, e trazer o tema para uma discussão entre os autores e técnicos da Anvisa, com mediação da área que tem relação direta com o tema.

Com periodicidade trimestral, a Visa em Debate é editada pelo Instituto Nacional de Controle da Qualidade em Saúde (INCQS/Fiocruz), com o apoio financeiro e técnico da Anvisa.

Uma das autoras do artigo “Farmacovigilância em tuberculose: experiência-piloto de um Centro de Referência do Rio de Janeiro”, a farmacêutica Erica Fernandes da Silva esteve na Anvisa para falar sobre o trabalho. Ela assina o artigo com Aline Gerhardt de Oliveira Ferreira, Jonatas Reis Barreto e Fabiano Caseira Macedo da Silva.

Erica Silva é responsável técnica pela farmácia do Centro de Referência Professor Hélio Fraga, da Escola Nacional de Saúde Pública (Ensp) da Fiocruz), instituição nacional do Sistema Único de Saúde (SUS) para tuberculose e outras pneumopatias.

“Viemos falar sobre o projeto-piloto que fizemos em 2013 e 2014 para estimular a notificação à Anvisa dos eventos adversos dos medicamentos utilizados no tratamento da tuberculose e explicar quais são os cenários para a retomada desse projeto, que começou em 2018”, explicou Erica Silva.

A mediação do debate foi feita pelo gerente de Farmacovigilância da Anvisa, Marcelo Vogler.

Conheça esta edição da Visa em Debate: http://periodicos.fiocruz.br/pt-br/revista/55118.

(Informações da Anvisa)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *