Evento debate abertura da área da saúde para o capital estrangeiro

Por em junho 11, 2015

A abertura da área da saúde para o capital estrangeiro é uma questão polêmica. O risco que corremos é que a medicina se transforme em um negócio como outro qualquer e, como envolve a saúde, não é assim. Preocupada em que se garanta segurança para o consumidor, a obrigação de qualificação profissional, acreditação e certificação de qualidade de atendimento e hospitalar, entre outras, a PROTESTE Associação de Consumidores e o Instituto ÁGORA promovem debate sobre o assunto, no próximo dia 25, em São Paulo.

Para participar do seminário: “Os impactos da abertura do capital estrangeiro na saúde”, envie e-mail para seminario@proteste.org.br. A inscrição é gratuita, mas as vagas são limitadas.

O evento será realizado em 25 de junho, das 8 às 12h30, no auditório do edifício New Place, na Rua Machado Bittencourt nº 361, Vila Clementino, em São Paulo.

Os palestrantes são de todas as áreas envolvidas com a questão: representantes de hospitais, operadoras de planos de saúde, consumidores, órgão regulador, acadêmicos e demais interessados.

A captação de recursos financeiros de investidores estrangeiros para o setor de prestação de serviços na saúde, antes era proibida pela Constituição. Há uma corrente que diz que a abertura agora pode contribuir para a correção de uma grave distorção dessa falta de financiamento para o setor de saúde e seria um avanço para a ampliação da capacidade de incorporação tecnológica e do número de leitos hospitalares público e privados.

Na avaliação da PROTESTE, é essencial criar algumas proteções, porque é um setor que não pode se regular pelo fundamento do lucro a qualquer custo. Serviços de saúde, ao contrário dos demais bens de serviços, não podem ser regulados exclusivamente pelas leis de mercado.

Confira o programa completo do seminário no site: www.proteste.org.br/institucional

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *