Cremesp lança livro sobre Relação Médico-Paciente

Por em novembro 13, 2017

“Mesmo diante de tantos desencontros – decorrentes da falta de financiamento da saúde, das filas, dos exames que demoram meses, entre outras mazelas – o médico tem o dever de ter um encontro com o paciente, e tenho certeza de que a maioria esmagadora o faz”. A afirmação, do presidente do Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp), Lavínio Nilton Camarim, foi feita durante o lançamento oficial do livro Relação Médico-Paciente – Um Encontro, na tarde desta sexta-feira (10/11). Ocorrida na sede central do Conselho, na cidade de São Paulo, a cerimônia de lançamento reuniu conselheiros, delegados, funcionários, além de autores da obra, elaborada e publicada pelo Cremesp, por meio de seu Centro de Bioética.

Embora a tecnologia seja uma grande aliada, o presidente do Cremesp considera que ela jamais substituirá o toque, o olho no olho. “O médico tem de gostar de gente. Não pode considerar nunca o paciente como cliente. Ele é cliente do plano de saúde ou do serviço privado, mas para nós deve ser sempre paciente, como ocorre há 2.500 anos”, disse. Destacou, em seguida, a importância do livro, lembrando que 80% das denúncias que chegam ao Cremesp são decorrentes de uma má relação médico-paciente.

Apesar de todos os percalços, a sociedade mantém uma relação de respeitabilidade com a Medicina, observou Camarim. Mas criticou com vigor a falta de financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS). “Apesar disso, o SUS é uma das maiores reformas dos últimos 50 anos no Brasil; entre outras vitórias, deu nome àqueles que, no passado, eram chamados de “indigentes”, lembrou.

Em seu discurso, Camarim ressaltou a importância da publicação, que, ao incluir temas que vão desde respeito à autonomia do paciente, a atendimento a distância e novas mídias, entre outros, seguramente “vai servir como referência na Casa e no Estado; é um instrumento de vanguarda no País”.

Provocação e reflexão 

Ao falar sobre Relação Médico-Paciente – Um Encontro, Reinaldo Ayer de Oliveira, coordenador do Centro de Bioética do Cremesp, lembrou seu embrião, um livreto lançado pelo Cremesp em 2001, chamado Relação Médico-Paciente que, depois de se esgotar rapidamente, permaneceu como o mais acessado na área do Acervo on-line da entidade.

“Dar continuidade ao tema foi uma provocação ao nosso Centro de Bioética, que instituiu um grupo coordenado por Carlos Alberto Pessoa Rosa, delegado do Cremesp de Bragança Paulista, para a elaboração de livro que partiu de pareceres elaborados por nossos conselheiros, mas foi além, ao propiciar uma profunda reflexão sobre os temas elencados, e inserir sugestões de filmes e livros relacionados”.

Coube ao coordenador da obra, Carlos Rosa, falar sobre o (curioso) método usado pelos autores, constituído de conversas realizadas, quinzenalmente, pelos autores que, em um denso exercício intelectual e ético, davam origem a cada capítulo.

Além dele, participaram como autores de Relação Médico-Paciente – Um Encontro o psiquiatra Claudionor Picarelli, também delegado do Cremesp em Bragança; a médica sanitarista Marly Alonso Mazzucato; o cardiologista Roberto Douglas Moreira; e a jornalista Concília Ortona, do Centro de Bioética do Cremesp.

Um pouco sobre o livro

Dividido em dez capítulos – Comunicação: elo entre o médico e o paciente; Sigilo na relação médico-paciente; Tempo “ideal” em consultas e exames; Responsabilidade técnica e liderança no atendimento domiciliar; Atendimento não presencial; Discriminação em serviço público, particular e convênio; Cuidado prestado a crianças e adolescentes; Assistência ao paciente idoso; O médico perante a diversidade sexual; e Há um médico a bordo? – o livro apresenta dois âmbitos claramente distintos: o didático e o reflexivo.

Do ponto de vista didático, agrega primordialmente Pareceres e Resoluções do Cremesp (e de outros Conselhos Regionais e Federal) nos temas em questão, além de outras normas jurídicas, deontológicas etc. O reflexivo surge a partir das discussões e experiências profissionais dos autores.

Os interessados na obra (gratuita, como todas as outras do Cremesp) devem entrar em contato com a Biblioteca da entidade, pelo telefone (11) 4349-9981.

*Informações do Cremesp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *