Cremesp entra com ação contra optometristas

Por em Fevereiro 2, 2018

O Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) entrou com representação criminal contra um profissional optometrista por práticas que configuram exercício ilegal da Medicina, em Campinas, interior de São Paulo. Também está sendo apurada responsabilidade no mutirão “Outubro Brilhante”, realizado nos dias 1º, 15 e 29 de outubro de 2017, no mesmo município, com serviços prestados à população por optometristas.

Após informações sobre os casos, o Cremesp solicitou investigação e adoção de medidas cabíveis para a Vigilância Sanitária e Ministério Público (MP) com o objetivo de coibir a prática ilegal da Medicina por profissionais que não possuem capacitação técnica. O MP instaurou inquérito civil para apurar as atividades realizadas por optometristas no mutirão “Outubro Brilhante”.

“O Conselho está atento e vigilante em fatos que ferem a profissão médica. Precisamos combater este tipo de prática para não colocar em risco a saúde das pessoas”, enfatizou o presidente do Cremesp, Lavínio Nilton Camarim.

Histórico

Em setembro de 2017, o Cremesp divulgou Nota de Repúdio e exigiu retratação pública contra vereador e optometrista de Campinas que atribuiu os problemas de saúde pública da cidade aos médicos oftalmologistas, durante sessão plenária na Câmara dos Vereadores.

Após este episódio, o Conselho Regional de Óptica e Optometria de São Paulo (CROO/SP) pediu a retirada de matéria publicada no site e redes sociais do Cremesp, porém, o pedido foi negado pela Justiça.

Já em dezembro do ano passado, o Cremesp entrou com ação na Justiça contra o CROO/SP pedindo indenização por dano moral coletivo, no valor de R$ 1 milhão, pelo exercício ilegal da Medicina. O valor da

*Informações do Cremesp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *