Cremesp aprova boas práticas de atividades desportivas nas escolas de Medicina

Por em junho 7, 2018

Preocupado com a violência presente nos jogos universitários, o Conselho Regional de Medicina do Estado de São Paulo (Cremesp) editou e publicou, por meio de sua Câmara Temática Interdisciplinar sobre Violência nas Escolas Médicas (Camtivem), com apoio e sugestões da Câmara Técnica de Medicina do Esporte, o comunicado Boas práticas das atividades desportivas ligadas às faculdades de Medicina, durante reunião que aconteceu na sede do Conselho, com participação de representantes de escolas de Medicina do Estado.

O comunicado conscientiza e orienta os dirigentes de atléticas, diretoria de universidades, atletas e o público participante dos jogos universitários sobre como evitar a propagação da violência em suas diversas formas. O vice-presidente do Cremesp, Renato Françoso Filho, que presidiu a reunião, destacou a importância de conscientizar os estudantes sobre a prática e competição saudável de esportes nos jogos universitários.

Para a conselheira e coordenadora da Camtivem, Katia Burle Guimarães, essa é uma questão importante para o Conselho, pois ouvir os dirigentes das faculdades é fundamental para acabar, de fato, com os sérios problemas de violência nos jogos das faculdades de Medicina. ”A filosofia do esporte não é essa que vem sendo promovida nos jogos universitários e, sim, o trabalho em equipe, a qualidade de vida e saúde”, ressaltou.

O sentimento de superioridade dos veteranos e a rivalidade entre as escolas são apontados como as principais razões para atos violentos, além do uso excessivo de álcool e outras drogas durante os eventos esportivos. “Temos que entender a dinâmica dessas competições e intermediar as regras criadas pelas atléticas. O Cremesp também tem a função educadora, por isso, o comunicado de boas práticas esportivas promove o estimulo ao desportivo, com orientações para evitar a violência nos jogos”, observou Ricardo Nahas, coordenador da Câmara Técnica de Medicina do Esporte.

Representantes das faculdades presentes puderam opinar sobre o documento, além de sugerirem ações para combater a violência nos jogos. Por sua vez, o Cremesp solicitou empenho das instituições e atléticas universitárias na implantação das medidas propostas, trabalhando para garantir à comunidade estudantil uma formação mais humanista, um ambiente saudável, congregativo e não violento.

Conheça a íntegra do comunicado Boas práticas das atividades desportivas ligadas às faculdades de Medicina:

1. Conscientizar a instituição de ensino de que ela é corresponsável pelo estimulo à prática desportiva durante a formação médica;
2. Conscientizar a instituição de ensino de que ela é corresponsável pelo comportamento dos acadêmicos durante as competições;
3. Estimular a revisão dos hinários;
4. Entregar para a direção da escola um documento com assinatura dos estudantes responsáveis pelas atividades relacionadas às práticas desportivas;
5. Orientar sobre os malefícios do uso de substâncias que caracterizem dopping e drogas ilícitas;
6. Providenciar uma lista de estudantes que se disponham a ser “Carona Solidária”;
7. Disseminar que o sucesso das festas de confraternização é incompatível com a prática conhecida como open bar;
8. Disponibilizar serviço de ouvidoria, autônomo e independente, preservando o anonimato e privacidade do reclamante;
9. Estimular a colaboração entre as Instituições de Ensino Médico na investigação e apuração dos eventos adversos ocorridos durante competições esportivas, pactuando com as atléticas o acesso às imagens dessas competições;
10. Promover a realização de palestras sobre Filosofia do esporte e sua função na formação médica.

*Informações do Cremesp

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *