Coren-SP quer ação rigorosa para coibir violência contra profissionais de Enfermagem

Por em junho 10, 2015

O Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (Coren-SP) vem a público externar sua indignação e preocupação com a escalada de violência contra a classe nos últimos meses. Recentemente foram registrados, no mínimo, dois casos de estupro aos profissionais de Enfermagem, além de inúmeros casos de agressões.

São inúmeros os incidentes em hospitais nos quais profissionais de Enfermagem sofrem ataques. Há casos graves em que alguns mais exaltados, inconformados com a má qualidade dos serviços oferecidos na rede pública, descontam a indignação naqueles que trabalham na linha de frente do atendimento. É importante lembrar que as mulheres somam 86% dos profissionais da área, sendo assim as principais vítimas.

Diante de tal quadro, o Coren-SP vai protocolar junto às autoridades de Segurança Pública solicitação de audiência urgente. O objetivo é abrir debate para a formatação de políticas, direcionadas especificamente à proteção dos profissionais de enfermagem e de saúde, de uma forma geral, tendo em vista a exposição dos mesmos em regiões remotas, em postos e unidades com problemas graves de atendimento, entre outros facilitadores à violência.

Uma das propostas colocadas em discussão pelo Coren-SP versa sobre a possibilidade de criação de um Serviço de Inteligência que, atuando em contato estreito com o próprio Conselho, mapeie as Regiões de maior incidência de casos de violência contra profissionais de Enfermagem, com o intuito de melhorar as ações de policiamento preventivo e ostensivo, quando preciso.

Proposituras já ventiladas em outros momentos de crise, como a criação de uma Delegacia de Crimes contra Profissionais de Saúde, também serão colocadas à mesa, com o intuito de auxiliar na construção de políticas consistentes e eficazes à proteção da classe.

É essencial registrar, por fim, que a segurança é prerrogativa constitucional do cidadão, devendo ser garantida mediante à implementação de políticas públicas. Sendo assim, conforme o próprio texto da Constituição, é obrigação das autoridades do setor estabelecer condições adequadas que possibilitem o efetivo acesso a tal serviço. É essa efetividade que o Coren-SP exige em defesa do profissional de Enfermagem e da população.

*Informações do Conselho Regional de Enfermagem de São Paulo (COREN-SP)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *