Contra importação, FENAM vai propor concurso nacional a médicos brasileiros

Por em junho 12, 2013

A Federação Nacional dos Médicos (FENAM) vai propor ao Ministério da Saúde a contratação de médicos brasileiros por meio de concurso nacional, ao invés da contratação de profissionais estrangeiros, sem a devida revalidação de diplomas.

Segundo o presidente da FENAM, Geraldo Ferreira Filho, cerca de 17 mil médicos são lançados no mercado de trabalho por ano, e esses profissionais, se tiverem atrativos oferecidos pelo Governo, não hesitariam em ir ao interior atender a população mais desassistida.

“Há anos o governo não realiza um concurso desta natureza. Temos médicos suficientes em todos os municípios esperando concurso público. A ideia é, que ao invés de importar médicos sem critérios, o Ministério da Saúde faça um concurso e dê a oportunidade dos médicos brasileiros prestarem seus serviços a população deste país.”

De acordo com a entidade, a importação de médicos proposta pelo Estado põe em risco a saúde da população. “O médico não pode entrar no mercado brasileiro sem revalidação de diplomas, sem conhecer a língua portuguesa ou ter algum conhecimento da cultura nacional. Não é possível a relação médico-paciente sem a observação desses fatos, é preciso conhecer o quadro patológico nacional, que se entenda a forma que o paciente aborda e relata a doença ao médico e esta forma de avaliar é por meio da revalidação de diplomas.”

A proposta, que será elaborada e aprovada por uma comissão designada por todos os sindicatos médicos do país, vai defender o piso salarial da FENAM, atualmente calculado em R$ 10.412, para 20 horas semanais.

A Federação Nacional dos Médicos (FENAM) vai propor ao Ministério da Saúde a contratação de médicos brasileiros por meio de concurso nacional, ao invés da contratação de profissionais estrangeiros, sem a devida revalidação de diplomas. Segundo o presidente da FENAM, Geraldo Ferreira Filho, cerca de 17 mil médicos são lançados no mercado de trabalho por ano, e esses profissionais, se tiverem atrativos oferecidos pelo Governo, não hesitariam em ir ao interior atender a população mais desassistida.

“Há anos o governo não realiza um concurso desta natureza. Temos médicos suficientes em todos os municípios esperando concurso público. A ideia é, que ao invés de importar médicos sem critérios, o Ministério da Saúde faça um concurso e submeta os médicos brasileiros a prestarem seus serviços a população deste país.”

De acordo com a entidade, a importação de médicos proposta pelo Estado põe em risco a saúde da população. “O médico não pode entrar no mercado brasileiro sem revalidação de diplomas, sem conhecer a língua portuguesa ou ter algum conhecimento da cultura nacional. Não é possível a relação médico-paciente sem a observação desses fatos, é preciso conhecer o quadro patológico nacional, que se entenda a forma que o paciente aborda e relata a doença ao médico e esta forma de avaliar é por meio da revalidação de diplomas.”

A proposta, que será elaborada e aprovada por uma comissão designada por todos os sindicatos médicos do país, vai defender o piso salarial da FENAM, atualmente calculado em R$ 10.412, para 20 horas semanais. (Informações da Federação Nacional dos Médicos  -FENAM)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *