Documento orientará para cuidados com Covid em asilos

Por em Maio 6, 2020

A comissão externa da Câmara dos Deputados que analisa as ações de combate ao coronavírus deverá encaminhar aos ministérios do governo federal um relatório técnico proposto pela Frente Nacional de Fortalecimento das Instituições de Longa Permanência para Idosos (ILPI). O documento, apresentado virtualmente nesta terça-feira (5) aos parlamentares, foi elaborado por especialistas em envelhecimento e traz orientações para a tomada de decisões e a alocação de recursos pelas esferas responsáveis no enfrentamento da pandemia de Covid-19.

Relatora do colegiado, a deputada Carmen Zanotto (Cidadania-SC) se comprometeu a dar visibilidade ao texto. “Esse relatório precisa chegar como orientação para cada uma das instituições nos estados”, afirmou a parlamentar. “Nós temos que proteger os nossos idosos. São pessoas acima de 60 anos muitas vezes com comorbidade, que precisam ser protegidas, porque já estão distantes dos seus familiares.”

Reunião técnica por Videoconferência - Apresentação de relatório sobre Instituições de Longa Permanência para Idosos. Dep. Carmen Zanotto (CIDADANIA - SC)
Zanotto: relatório precisa chegar às instituições como orientação

.

No Brasil, existem 32 milhões de idosos, que representam 14% da população. Do total de idosos, de 15% a 50% têm alguma incapacidade. Menos de 1% vive em instituições de longa permanência.

Detecção precoce
Coordenadora do relatório, a geriatra e pesquisadora da Fiocruz Karla Giacomin destacou a importância da detecção precoce dos casos de Covid-19 nas instituições de idosos e sua notificação. Os pacientes que testarem positivo, disse, devem ser isolados imediatamente e deve-se proceder também à testagem de todas as pessoas que tiveram contato com eles, inclusive funcionários do local. Idosos podem apresentar sintomas incomuns de Covid-19, como confusão mental aguda, sonolência excessiva e respiração muito rápida.

“O fundamental é que haja testes laboratoriais disponíveis para as instituições de longa permanência”, afirmou Karla Giacomin. “O idoso deve ficar isolado, mas não abandonado do cuidado. Deve ser monitorado, porque uma pessoa idosa pode agravar seu caso mais rapidamente”, disse também.

O relatório aborda ainda pontos como cuidados a serem tomados em caso de óbitos, garantia de transporte para pacientes e visitas, que neste momento só devem ser permitidas caso o idoso residente esteja morrendo. Importante, disse a médica, é encontrar formas alternativas de comunicação entre o idoso e seus familiares e amigos.

Sugestões
Entre as sugestões feitas pelos parlamentares para enriquecer o documento, o coordenador do colegiado, deputado Dr. Luiz Antonio Teixeira Jr. (PP-RJ), recomendou o controle periódico da temperatura e da saturação do oxigênio no sangue dos idosos, uma vez que o resultado de um teste laboratorial de Covid-19 pode demorar e que os testes rápidos muitas vezes apontam falsos negativos.

“Precisamos de dois parâmetros: a saturação e a tomografia”, defendeu. “Fez saturação mais baixa que 92, precisa fazer tomografia. Tomografia com complicação pulmonar é internação hospitalar”, acrescentou. Dr. Luiz Antonio acredita que as instituições podem fazer contato diretamente com um prestador de serviço de tomografia, que poderia até oferecer o exame de forma gratuita.

A sugestão de Carmen Zanotto é para que se criem controles da condição de saúde dos cuidadores também, que transitam entre suas residências e as ILPIs. “Talvez um capítulo mais claro sobre a obrigatoriedade do uso da máscara, a troca da roupa na instituição, tornar obrigatório um uniforme, nem que seja aquela camisa com um tamanho padrão que dá para todo mundo”, disse.

Karla Giacomin explicou que parte desses assuntos estará mais bem explicitada em um novo fascículo. Por outro lado, ela afirmou que o tomógrafo não foi citado porque não é de acesso geral no País.

Recursos
Outro ponto abordado na reunião foi a escassez de recursos para as ILPIs. A deputada Leandre (PV-PR) lembrou que a comissão já apontou como prioritário o Projeto de Lei 1888/20, que obriga a União a destinar às ILPIs auxílio financeiro emergencial de até R$ 160 milhões. “Depende também dos parlamentares da base do governo para que vá à pauta do Plenário”, observou.

Leandre acredita ainda que o Ministério da Economia pode enviar ao Congresso Nacional uma medida provisória para liberar crédito suplementar para a Secretaria da Pessoa Idosa.

Direitos Humanos - idoso - asilo lar idosos (Asilo de Pelotas-RS)
Instituição que abriga idosos em Pelotas (RS)
.

A secretária nacional de Assistência Social do Ministério da Cidadania, Mariana Neris, reconheceu que os recursos estão defasados, mas disse que o auxílio emergencial de R$ 600 dá um fôlego às famílias com idosos. Ela também lembrou que recentemente, entre outras ações, o governo editou a Medida Provisória 953/20, que destina crédito extraordinário de R$ 2,55 bilhões ao Sistema Único de Assistência Social (Suas) devido à pandemia de Covid-19. Segundo o ministério, os recursos serão encaminhados a estados e municípios para atendimento à população em vulnerabilidade social.

Por sua vez, o secretário nacional da Pessoa Idosa do Ministério da Mulher, Família e Direitos Humanos, Antonio Costa, disse que, apesar da falta de recursos, já a partir da próxima semana a pasta vai atender a 500 ILPIs dentro do conceito da proteção de profissionais de saúde. Uma parceria com a Fundação Banco do Brasil também vai atender 225 entidades que não recebem nenhum recurso.

Informações da Agência Câmara de Notícias

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *