Entidades médicas são contrárias à liberação da fosfoetanolamina antes da realização dos testes clínicos

Por em março 22, 2016

O presidente do Conselho Federal de Medicina (CFM), Carlos Vital, assinou no último domingo (20/3), na Folha de S. Paulo, artigo em que alerta para a liberação do uso da fosfoetanolamina sem que o medicamento passe por todas as fases dos testes clínicos. O artigo, assinado também pelo presidente da Associação Médica Brasileira, Florentino Cardoso, e pelo presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica, Gustavo Fernandes, externa a posição contrária das três entidades à aprovação do projeto de lei 4.639/2016, que permite a produção, manufatura, importação, distribuição, prescrição, dispensação, posse ou uso da fosfoetanolamina sintética.

“Diante de prognóstico desfavorável, é fácil entender que os pacientes com câncer e seus familiares percam as esperanças e passem a buscar soluções mágicas. Não podemos, porém, aceitar que as instituições também se curvem ao desespero e à irracionalidade. É neste momento que precisamos delas mais firmes(…)Pessoas desesperadas tomam más decisões. Devemos cuidar para que isso não aconteça. É nosso dever preservar a vida”, destaca o artigo “O perigoso caso da ‘pílula do câncer’”, que pode ser lido abaixo.


 

O perigoso caso da “pílula do câncer”

Carlos Vital, Florentino Cardoso e Gustavo Fernandes
Diante de prognóstico desfavorável, é fácil entender que os pacientes com câncer e seus familiares percam as esperanças e passem a buscar soluções mágicas. Não podemos, porém, aceitar que as instituições também se curvem ao desespero e à irracionalidade. É neste momento que precisamos delas mais firmes.

Entretanto, as discussões que envolvem o uso da fosfoetanolamina no tratamento do câncer têm nos revelado uma outra realidade.

Há mais de 20 anos, um professor de química da USP (São Carlos) vem estudando a fosfoetanolamina, uma substância que acredita ser capaz de “tratar todos os tipos de câncer”.

Animados com os resultados dos testes em culturas de células e pequenos animais, os pesquisadores decidiram ignorar a necessidade de realizar os estudos necessários para qualquer substância ser considerada medicamento e passaram a distribuí-la para pessoas com câncer.

Surpreendentemente, o grupo afirma ter tratado mais de 40 mil pacientes, longe dos olhos das instituições responsáveis pela fiscalização e controle de medicamentos, ignorando completamente as regras internacionais.

A história só chamou a atenção quando a distribuição da substância foi interrompida por falta de verbas. Nesse momento, a molécula e seu criador alcançaram notoriedade nacional, e as demandas de pacientes passaram a movimentar o sistema Judiciário e a classe política brasileira, gerando uma crise sem precedentes em nosso meio.

A despeito de posições contrárias da Anvisa, do Conselho Federal de Medicina e de diversas sociedades médicas, as decisões do Poder Judiciário vêm colocando nas mãos de pacientes uma substância não reconhecida como medicamento, sobre a qual pouco se sabe.

Agora, a política entra em cena para tornar as coisas ainda piores. No dia 8 de março de 2016, a Câmara dos Deputados aprovou o projeto de lei 4.639/2016, de diversos autores, segundo o qual “ficam permitidas a produção, manufatura, importação, distribuição, prescrição, dispensação, posse ou uso da fosfoetanolamina sintética, direcionadas aos usos de que trata esta lei, independentemente de registro sanitário, em caráter excepcional, enquanto estiverem em curso estudos clínicos acerca dessa substância”. O projeto segue agora para votação no Senado.

Desprezando a necessidade de realizar pesquisas clínicas antes de se liberar um medicamento, os parlamentares fazem o Brasil regredir décadas em sua escalada civilizatória.

O Conselho Federal de Medicina, a Associação Médica Brasileira e a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica se posicionam contra esse projeto de lei, que entendemos como um risco à saúde pública e um agravo ao poder constituído das entidades médicas.

Pessoas desesperadas tomam más decisões. Devemos cuidar para que isso não aconteça. É nosso dever preservar a vida.

CARLOS VITAL é presidente do Conselho Federal de Medicina – CFM
FLORENTINO CARDOSO é presidente da Associação Médica Brasileira – AMB
GUSTAVO FERNANDES é presidente da Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica – SBOC

9 Comentários

  1. Venicio José Moraes de oliveira

    27/03/2016 at 18:44

    Respeito todos os médicos e a ciência, tanto que realizei todos os tratamentos disponíveis no mercado! Mas deixo uma reflexão a esses doutores:
    Se fosse um paciente terminal e tivesse uma, mesmo que remota chance de você melhorar ou até quem sabe se curar… você esperaria a morte ou morreria tentando??? Se responder a primeira alternativa com certeza você é um hipócrita pois é da natureza humana lutar pela vida!!!
    Então, sejam mais humanos e menos técnicos!!!

    • francisco pereira filho

      28/03/2016 at 20:07

      ESSES MEDICOS E ESSE CONSELHO ATE AGORA NAO PROVOU NADA DE BOM NA AREA DE TRATAMENTO DO CANCER NO BRASIL OUTROS NO EXTERIOR TAMBEM A COMEÇAR PELOS PREÇOS DO TRATAMENTO QUE JA INDICA QUE O NEGOCIO E DINHEIRO E AS EFICAÇIAS DAS QUIMIS QUE SAO UMAS MERDAS QUE MAIS MATA QUE AJUDA E O CASO DO MEU FILHO QUSE MOIRREU FAZENDO ESSA MERDA QUE RENDE BILHOES PARA OS COFRES DOS LABORATORIOS E DOS COMO FALAR DOS PERIGOS DA FOSFOETA. E DEIXAR DE LAdo os cigarros as bebidAS E OS AGROTOXICOS TODOS COM APROVAÇAO DA FANOSA ANVISA E TUDO TA NA PRAÇA ROLANDO DINHEIRO E MATANDO E NENHUM MEDICO QUESTIONA A ANVISA

  2. maria aparecida j.da silva

    27/03/2016 at 19:26

    Algum de voces ,ja tiveram cancer?
    Algum parente?
    Se teve , sabe a dor. Se nao, entao ,nao metam o bedelho, todos sao responsaveis ,pelos seus atos e quem trm cancer, quer tomar a pirula.
    Enquanto ha vida, ha esperanca , essa e a esperanca nossa, entao ,vao a merda , voces.
    O dinheiro , rola mais alto para tdo.
    Deixa o povo tentar, cada um assina o termo e sera responsavel.

  3. joana penha do prado

    27/03/2016 at 22:14

    Meu marido está com câncer, espero que a fosfo fosse liberada.

  4. Patricia Antunes

    28/03/2016 at 00:28

    A unica coisa que eu consigo concordar nesse artigo foi uma frase do paragrafo final: Pessoas desesperadas tomam mas decisoes….e essas tres pessoas sao o Dr. Carlos Vital, Dr. Florentino Cardoso e o Dr. Gustavo Fernandes. Eles devem estar muito desesperados mesmo!!!! E dificil de se entender como 3 medicos em seu juizo perfeito podem negar o efeitos da fosfoetanolamina sintetizada pelo professor Gilberto. So em teoria ja atrairia a atencao de qualquer medico que se importasse com pacientes, com casos comprovados entao nem se fala. A fosfo nao era para ter os testes clinicos suspensos em 1998. Os testes eram para terem sido finalizados em 2001 e a fosfo era para ter adquirido o status de uma medicacao. Os relatorios sobre os resultados dos pacientes nestes 2 anos nunca foram apresentados ao professor GIlberto, porem muito mais do que isso chegou em suas maos. Os pacientes dos testes clinicos foram encaminhados pelos proprios medicos do hospital para a USP. Eles conseguiram do professor GIlberto as pilulas para continuar o tratamento e depois de serem curados trouxeram os parentes e amigos para se curarem tambem!!Todos os custos com os tratamentos dos pacientes sairam do bolso do professor GIlberto. A fosfo so chegou a nos ate hoje porque ela curou muitas pessoas nestes ultimos 20 anos. Quem teve a oportunidade de participar dos grupo de apoio a fosfo desde setembro de 2015, teve a oportunidade de ver isso acontecer com as pessoas que faziam parte dos grupos de face. Nos tivemos a oportunidade de ver a melhora das pessoas diante dos nossos olhos e isso tudo comprovado atraves de exames. Depois pra nossa tristeza, nos tambem vimos o estado de muitas delas deteriorar quando a segunda remessa da fosfo nao chegou. Agora esses medicos dizerem que estao preocupados com a saude da populacao, nos poupe, ainda mais depois de saber o que ja foi dito na delacao do senador Delcidio com relacao a propina em troca de cargos da area de saude.

  5. Fabiana Barros

    28/03/2016 at 14:31

    A falta de informação e o descaso dos representantes dessas três entidades é notório! Existem muitos pesquisadores, médicos e pessoas que não estão em desespero. Simplesmente se informaram, em muitos casos tecnicamente e cientificamente, e constataram que o composto realmente tem resultado extremamente satisfatório. São pessoas sérias! Os pacientes e filiares que apóiam a causa tem mesmo que desesperar pois muitos, desenganados, abandonados pra morrerem em casa, com morte lenta e dolorosa. A FOSFO nesses casos tem mostrado em HUMANOS um excelente resultado.
    Quem pensam que são esses três representantes dessas entidades pra se opôr ao direito da tentativa de vida sendo que eles mesmos não podem ajudar. Que Deus tenha piedade de suas almas! LIBERA DILMA!

  6. Luzinete

    28/03/2016 at 16:18

    #dilmasancioneafosfo….pelo amor de DEUS…. Vidas podem ser salvas…#dilmasancioneafosfo vamos compartilhar em suas páginas curtidas….nos sites….nos seus status…vamos incomodar e tentar tocar o coração dos nossos governantes….juntos seremos a maioria… #dilmasancioneafosfo ….

  7. Jefferson Weiller

    28/03/2016 at 22:44

    A medicina até hoje não resolveu o problema do câncer. ANVISA e os oncologistas continuam sendo muito eloquentes em suas intervenções, para que não se libere, mesmo sabendo tratar-se de substância sem TOXICIDADE, segundo os testes do próprio MCTI. O Governo não vai pôr um tostão na fabricação. Simplesmente VETAR, por VETAR? Com medo do quê? Pois se bem não fará, mal também não. Seria medo de que funcione?

  8. Patricia Antunes

    29/03/2016 at 17:29

    O que vemos na fosfo nao e uma pilula magica mas pura ciencia. O que vemos na fosfo e uma nova forma de curar o cancer atraves da imunoterapia na qual o medicamento ajuda ao paciente a ficar forte para que o proprio sistema imunologico faca o trabalho dele! Por tanto o que vemos na fosfo e sim tecnologica de ponta aplicado na area de saude. Nos perdemos a oportunidade de salvar muitas vidas e ja e hora de dar um basta nesta luta covarde contra os pacientes oncologicos. A fosfo era para ter sido liberada em 2001, depois de completar os testes clinicos que nao eram para ter sido suspensos, mas aparentemente desde aquela epoca ja nao existia muito suporte da fosfo. Incrivel como algo tao importante como a cura do cancer pode ser tao boicotado!!! Sera que nenhum deles tem mae, esposa e filhos que eles amem??????

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *