Abram Eksterman diz que médicos precisam renovar compromisso com o paciente

Por em agosto 11, 2017

Os médicos precisam renovar a cada dia o compromisso com a experiência de se aproximarem de quem sofre. A opinião é do psiquiatra e psicanalista, Abram Eksterman, anunciada em sua palestra “Medicina centrada em pessoas e as humanidades médicas”, ontem (10) durante o VI Congresso Brasileiro de Humanidades Médicas.

Para Eksterman, estamos atravessando uma séria crise política e econômica que não é apenas brasileira, mas sim mundial. Ele recorreu à história e remeteu ao Freud em meio a uma grande guerra quando este mencionou a necessidade, ante as agruras da época, “de nos recolhermos às nossas lareiras e ali nos aquecermos até que possamos sair novamente”, como explicou o psicanalista. “Sugeri aos meus colegas psicanalistas que construíssemos o clube da lareira para nos aquecermos juntos e continuarmos ensinando as humanidades”, disse.

Citando autores como Danilo Perestrello, Abram Eksterman abordou a medicina centrada no paciente e destacou a importância das relações humanas e de utilizar a relação médico-paciente como recurso terapêutico. “Cada palavra do médico, cada atitude do médico, é um ato terapêutico”, explica.

“O que nós precisamos é atingir a própria organização da pessoa do médico, capacitando-o a pensar o outro, se relacionar com gente, ouvir o que se lhe é dito, compreender o paciente (dentro do contexto existencial), dialogar com pessoas e estar disponível a estabelecer vínculos humanos”, defendeu Eksterman, assegurando ainda que singularizar o caso clínico, ou seja, apoiar o ato assistencial na singularidade existencial de cada doente, reduz o custo médico.

O VI Congresso Brasileiro de Direito Médico continua nesta sexta-feira (11). O evento pode ser acompanhado ao vivo aqui.

Veja a galeria de imagens aqui.

*Informações do CFM

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *